Velocidade no Treino de Artes Marciais – por Robin Doenicke

Robin Doenicke sensei

Robin Doenicke sensei

As pessoas às vezes perguntam por que somos encorajados pelo Soke e pelos Shihan a nos mover lentamente durante os treinos. Essas pessoas comumente seguem essa colocação com comentários como “Mas uma luta real não seria bem mais rápida e explosiva?”. Deparei-me com um interessante artigo sobre a questão da velocidade quando estava aprendendo sobre uma arte marcial interna de origem chinesa, o Tai Chi, que acredito tratar esta questão maneira apropriada:

“Tai Chi é normalmente realizado com dois tipos de velocidade. Noventa e nove por cento dos movimentos de Tai Chi são feitos muito lenta, suave e plenamente*. No entanto, mesmo que você se mova suave e plenamente é possível ir do movimento lento para o muito lento, para o super lento quase como um melaço escorrendo de uma colher. Alcançar o absoluto pináculo da vagareza permite o seu sistema nervoso central libertar-se totalmente e tornar-se equilibrado. Com isso você se torna capaz, se assim optar, de mover-se em alta velocidade, à vontade. Este um método básico através do qual a real velocidade é alcançada no treinamento Tai Chi como arte marcial. Libertar suficientemente o sistema nervoso torna possível para o seu corpo mover-se em qualquer velocidade, virtualmente sem barreiras internas.

Robin Doenicke Shihan

*Nota de Tradução: no original a palavra usada foi “evenly”, numa tradução mais direta “uniforme”, porém optei por “pleno” por representar mais a totalidade do movimento, não só no sentido de uno, mas de completo, no caso a compreensão do mesmo.

Tradutor: Daniel Pires
Revisor: Gustavo Sícoli

Comments are closed.