Tōtoku: Proteja-se – por Arnaud Cousergue

A ideia principal de Nagato sensei era permanecer protegido em todos os momentos. Isso é Tōtoku. (1)

Mesmo que Tōtoku use uma espada, em teoria, o conceito também é válido para o Taijutsu habitual. Isso é o que fizemos durante a aula toda. O uke ataca com Tsuki duplo [dois socos], você bloqueia e absorve o primeiro punho com sua mão esquerda. Então você posiciona seu antebraço esquerdo na vertical como um escudo. Quando o segundo punho seguir você pode defletir o ataque e golpear ao mesmo tempo. Estar protegido é algo que Hatsumi Sensei repete bastante nos dias de hoje. O controle da situação no espírito de Kannin Dokuson (2) é a essência do Mutō Dori.

Nagato sensei fez muitas variações sobre o conceito de Tōtoku. Ele contornava o atacante, mantendo-se sempre fora de alcance e capaz de acabar com ele. Eu adoro o movimento de pés dele pois ele se move bastante no espaço (Mawari) e não pivota muito (Mawashi). Para fazer você entender a diferença entre os dois conceitos imagine um carrossel: os cavalos na periferia estão movendo em Mawari, o eixo central do carrossel está está fazendo Mawashi (3). Essa maneira de mover é típica de Koppō Jutsu e uma especificidade do taijutsu dele. Girando em torno do ataque e do atacante Nagato sensei pode usar seus cotovelos para controle. Seus cotovelos são então o Shiten (eixo) (4) e suas mãos podem distribuir poderosos shutō ao pescoço.

Quando você treina no Japão é sempre agradável treinar com Noguchi Sensei e com Nagato sensei. Eu acho o taijutsu deles muito diferente e ao mesmo tempo muito complementar. Noguchi sensei move-se de uma maneira mais Kosshi Jutsu enquanto Nagato sensei é mais do tipo Koppō Jutsu. Lembre que Koppō e Kosshi são muito próximos quando se trata de reagir sob ameaça: Koppō quando você está mais distante, Kosshi quando você está mais perto.

No fim da aula Nagato sensei respondeu várias perguntas sobre treinamento. Ele compartilhou conosco numerosos discernimentos sobre como treinamento era no início da Bujinkan. Ele disse que essas discussões eram prática comum depois das aulas do Sensei. De fato, eu lembro de gastar tardes inteiras com Pedro na casa do Sōke nos anos 90. O Sensei nos mostrava cenas antigas de Takamatsu, pergaminhos, e muitos outros documentos. Eu adorava aqueles momentos.

Nagato também explicou que os tempos mudaram. O tipo de treinamento do passado não mais pode ser feito. Isso porque a nova geração não podia aceitar a dor que era parte do treinamento de 15 anos atrás. Quando eu vim ao Japão pela primeira vez nos anos 90, eu lembro que dor era uma parte importante do treinamento. Era comum ficar contundido por duas ou três semanas depois de retornar para França.

Ele disse muitas coisas que eu não sabia e isso foi bom.

No passado não havia Honbu Dōjō, eles treinavam na casa do Sensei. O apelido [da casa] era “casa da selva” (jungle house). Eles treinavam em uma sala de dez tatami (aproximadamente 20m2).

As coisas mudaram e o treinamento de hoje em dia é fácil quando você o compara com o do princípio. O primeiro Honbu abriu somente em Outubro de 1997!

Treinamento no Japão não é limitado ao aspecto físico, essas discussões são uma parte importante do seu treinamento como estudante.

Se você limitar Bujinkan aos movimentos do corpo, então você está praticando um esporte. A Bujinkan não é um esporte. Não há nada errado em fazer artes marciais esportivas, Nagato sensei disse que nós também deveriamos treiná-las se possível. Contudo, lembre-se de que as artes da Bujinkan não são esportes: o que aprendemos aqui é sobre sobreviver em uma luta real onde não existem regras.

Alguns praticantes são críticos quanto à falta de Randori (5). Nagato sensei disse que antigamente eles tinham treinamento de Randori, ainda assim, o tipo de Randori era muito diferente do que nós temos no Jūdō. Era apenas movimento em câmera lenta, tentando não usar força alguma. É por isso que ele continua repetindo que “apenas praticantes ruins treinam rápido e usam força”.

Então, quando você vem para o Japão?

Arnaud Cousergue Shihan

__________________________

  1. Tōtoku: 刀匿, proteger-se com a espada. Como em 刀匿表紙の構え Tōtoku Hyōshi no Kamae, onde você se cobre usando a espada como um escudo para proteger-se de shuriken.
  2. Kannin Dokuson é o tema para 2017. Você deve respeitar a si mesmo, o oponente e a situação. 貫忍 独尊 Kannin Dokuson. Confira AQUI
  3. Nós estudamos Mawari com Kunai em 2003, com uma técnica chamada “Mawari Dori”. Membros Koi, confiram em www.koimartialart.com
  4. Shiten: veja a postagem anterior AQUI
  5. Randori: 乱取り, é o termo usado em artes marciais japonesas para descrever práticas de estilo livre. O termo significa “acompanhar o caos” (chaos taking) ou “compreender a liberdade” (grasping freedom). Isso implica em liberdade das práticas estruturadas de kata. Randori pode contrastar com kata como dois tipos potencialmente complementares de treino. O significado exato de randori depende da arte marcial na qual é utilizado.
Tradutor: João Padoveze
Revisor: Daniel Pires
Este texto foi originalmente publicado no endereço eletrônico:
https://kumablog.org/2017/12/01/totoku-protect-yourself/

 

Comments are closed.