Chegando atrasado – por Daniel Pires

Corre, Jack, corre que chegar atrasado não é legal.

Corre, Jack! Corre para não chegar atrasado.

Este texto trata-se do atraso, mas apenas no que concerne o comportamento dentro do Dojo.

Aulas tem um horário de início e um horário de encerramento e isso é levado em consideração pelo professor quando ele planeja as aulas. A sequência como todo é importante. No Komainu Butoku Dojo começamos com junan taiso, fazemos exercícios de taihenjutsu (que também nos ajudam a aquecer o corpo), seguimos com algum kihon e depois seguimos com técnicas mais específicas. Se um aluno perde o início da aula ele irá treinar sem se alongar e talvez sem o aquecimento adequado. Neste aspecto é ruim para o aluno. E é ruim para o professor, que pode ter que lidar posteriormente com problemas decorrentes desse treino deficiente, caso o atraso seja recorrente.

Nossas aulas começam com um ritual ou uma cerimônia, no qual mudamos nossas mentes para o “modo dojo”, deixamos nossos problemas lá fora e no focamos exclusivamente no treino. O aluno que chega atrasado perde isso. Ainda que faça o ritual sozinho (o que deve ser feito) posso dizer que nestes 13 anos pouquíssimas vezes eu o vi sendo feito de fato, com o coração envolvido e a disposição de desprender-se do mundo exterior, em geral é “apenas um protocolo”.

Quando alguém chega no meio de um exercício este não sabe o que está acontecendo, não sabe o que o professor almeja com determinado kata (forma ou técnica utilizada para o ensino). Um exercício com espada pode estar focado em trabalhar maai (noção de distância) e o aluno atrasado dispersa atenção ou comentários na posição dos pés ou de como se segura a espada. Sim, tudo isso é importante, mas especialmente quando se trata de alunos novos é interessante trabalhar um elemento por vez – um kamae (postura) é bastante complexo e envolve ao menos uma dezena de detalhes para se dominar (são mais, na verdade) e não adianta buscar entender (ou querer que o outro entenda) todos, é trabalho do professor responsável observar qual aspecto é mais adequado de ser exercitado naquele momento.

No Butoku Dojo buscamos nos aproximar do método de ensino que observamos nossos mestres no Japão utilizando que consiste no seguinte: o aluno atrasado deve ficar fora do tatami, vestir o Do Gi (traje de treino), iniciar o junan taiso (preparação do corpo, alongamentos e aquecimento) e aguardar, observando o que está acontecendo, até que o professor o convide a se juntar ao grupo.

Ganbatte!

Comments are closed.